Elogios que desenvolvem

Elogiar uma criança pode parecer algo fácil e cotidiano, porém requer cuidados

Repost publicado pela Oficina Toka um ambiente para recreação infantil

 Elogiar uma criança pode parecer algo fácil e cotidiano. Porém, a forma como você faz isso pode afetar bastante o seu efeito.

Pesquisas recentes mostram que os elogios são muito bons para as crianças, mas que existem maneiras mais efetivas de fazê-los, visando o desenvolvimento da criança. Todo elogio gera um efeito. Ao falar que ela é inteligente ou esforçada em alguma atividade, por exemplo, a criança tende a focar mais nestas atividades, e pode até abandonar aquelas outras em que não ouviu comentários elogiosos.

Por terem impacto direto na autoestima, os elogios devem ser feitos de forma equilibrada. Uma das formas mais efetivas para se conseguir isso é se envolver nas atividades das crianças.

Busque equilibrar comentários mais simples, como o “que bonito!”, com conversas como a criança sobre como ela fez aquilo, valorizando o processo de elaboração tanto quanto o resultado final.

O equilíbrio também vem ao distribuir elogios para aspectos do comportamento, como “sua ajuda foi muito importante”, “que bom que você emprestou seu brinquedo”, pois eles ajudam a reforçar valores pessoais para a criança. Por isso que elogios “superficiais” relacionados a aparência devem ser moderados.

Da mesma forma, pondere se você quer fazer elogios de assuntos que talvez ainda não façam parte do mundo da criança. Às vezes fazemos isso de forma automática, quase sem perceber, porque esses elogios fazem parte do nosso cotidiano adulto. Um exemplo é “que bom que você ganhou”, que é um comentário positivos, mas que de forma repetida pode desenvolver um espírito mais competitivo.

O equilíbrio dos elogios também vem da imposição de limites, que são importantes na educação da criança, principalmente nesta fase em que ela está descobrindo até onde ela pode ir.

Deixar uma resposta